sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Geisa Fernandes, a pintora de autorretratos musicais


 Texto e análise de : Tiago de Lima Castro e Daniel Marcos Martins

Geisa Fernandes, cantora de música popular brasileira, viajou para Campinas com 18 anos e cursou a UNICAMP, sendo formada em História com doutorado em comunicação. Em 1995, viajou para Osnabruck na Alemanha, depois de três anos rumou para Hasselt na Bélgica, voltando ao Brasil um ano e meio depois já em 2000. Fixou-se em Niterói em 2004, na qual mora até hoje.

Lançou seu primeiro disco em janeiro de 2013 pela Capital Carioca. O álbum leva seu próprio nome e possui músicas de sua própria autoria, com exceção de “Brejeiro” do compositor Ernesto Nazareth, que completava 150 no mesmo ano de lançamento do disco. Geisa explora vertentes da MPB, passeando entre o Jazz, Samba e Pop.


Os franceses consideram a música de Geisa como um “Latin Jazz”, sendo normal vermos a classificação de “Jazz” para alguns ritmos brasileiros no exterior. É interessante observar como Geisa se encaixa na definição de “Latin”, ou seja, um Jazz latino enriquecido com ritmos Latino Americanos.


Músicas

Geisa coloca nas músicas sua própria história, fazendo com que as composições digam bastante da personalidade da cantora. Ela se permite compartilhar de suas experiências, desavenças pessoais e percepções do mundo, poderíamos dizer que suas músicas são como pequenos diários de fases da sua vida, ou como Geisa descreve: são como um “autorretrato musical”.

Quem curte MPB certamente vai adorar seu trabalho. Os arranjos são ótimos, bem equilibrados com a voz, expressando com clareza a proposta de cada canção, passando por ritmos tradicionais como Tango, Samba e MPB com certa pitada de Jazz. A temática das letras unido as escolhas musicais, mostra uma busca de continuação destas propostas musicais, o que torna o trabalho muito interessante. Também chama a atenção o fato dos arranjos serem adequados ao ritmo utilizando algumas citações, até citando um clássico sambista. Consegue manter uma particularidade própria, posicionando-se como um tipo de canção que se baseia em ritmos diferentes.

Algumas músicas podem se destacar como “Elevado” que é um tango. Segundo a cantora, essa música acabou ganhando a roupagem de tango devido a alterações no arranjo, a música ainda teve a participação do bandoneonista1 argentino, Bruno Pianzola.

Os músicos foram fixos somente para o projeto do CD. O produtor Francisco Falcon também é arranjador das músicas. Geisa também conta com convidados especiais como o já citado Bruno Pianzola ou o tecladista/pianista KikoContinentino.




Conclusão

Geisa demonstra em sua música a capacidade do hibridismo consegue expressar as inúmeras possibilidades que a música brasileira consegue atingir através da mistura musical sem preconceitos, aplicando elementos, citações sem fazer parecer artificial, quase como se a nova mistura fosse tão natural quanto a matéria-prima. Música brasileira da melhor qualidade, com ótimos arranjos e uma voz agradável.



Link de referência

site
https://artistecard.com/geisafernandes#!/musics/40799

Notas:
1Que toca bandoénon, instrumento argentino usado no tango, parecido com a sanfona brasileira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário