terça-feira, 6 de maio de 2014

Rolling Stones e Pink Floyd estão enjangados no movimento BDS




Membros fundadores da banda PINK FLOYD se reúnem para argumentar a favor do movimento intitulado BDS e estão pedindo ao ROLLING STONES que reconsiderem a oferta de tocar em Israel.


"Com as recentes notícias que os Rolling Stones estarão fazendo o seu primeiro concerto em Israel, no que é um momento crítico na luta global pela liberdade Palestina e igualdade de direitos, nós, os dois fundadores sobreviventes do Pink Floyd, unidos para apoiar o movimento Global intitulado "BDS" (boicote, desinvestimento e sanções), é uma plataforma informal de ativistas, grupos sociais e organizações que, a nível mundial, coordenam os seus esforços, em resposta ao apelo lançado pela sociedade civil palestina para pressionar Israel a cumprir com o Direito Internacional e a Declaração Universal dos Direitos do Homem."

O movimento foi criado em 2005 para acabar com a ocupação de Israel, discriminação racial e a negação de direitos básicos dos palestinos.

O movimento BDS é modelado sobre os movimentos não-violentos bem sucedidos que ajudou fim da "leis de Jim Crow" na América do Sul e do apartheid na África do Sul. De fato, figuras-chave que lideraram a luta pela liberdade do Sul Africano, como o arcebispo Desmond Tutu e associado de Mandela, Ahmed Kathrada, saíram em apoio ao BDS para defesa dos direitos palestinos. BDS oferece toda uma forma de pressão sem violência ao governo israelita para que percebam que suas injustiças contra o povo palestino são legalmente e moralmente inaceitáveis e insustentáveis.

"O movimento não defende uma determinada estrutura política, um Estado ou dois e nós também não. Em vez disso, pedimos uma resolução que defende a liberdade, a justiça e a igualdade de direitos para todos, independentemente da identidade e não causa sofrimento para qualquer pessoas.

Então, para as bandas que pretendem tocar em Israel em 2014, pedimos que reconsidere. Tocar em Israel agora é o equivalente moral de tocar em Sun City no auge do apartheid sul-africano; independentemente de suas intenções, cruzando a linha de piquetes você irá fornecer a propaganda que o governo israelense vai usar nas suas tentativas para dissuadir as políticas de seu regime injusto e racista.

Para proporcionar um espaço para informação, análise e permuta de ideias e de experiências para todos os participantes no movimento, foi criado o website http://www.bdsmovement.net/, gerido pelo Comité Nacional Palestino para o BDS.

Fontes:




Tradução: Jullian Ventura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário