quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Luke Grave, Rock produções.


Luke Grave é um projeto solo de Metal e Heavy Metal, na cara e na coragem ele resolveu começar a gravar sozinho depois de algumas péssimas experiências em bandas, seguindo a teoria do "faça você mesmo". Lançou seu primeiro álbum "Apocalypse" em 2012 e em 2013  lançou o álbum "Atomic", sempre aplicando riffs pesados do Heavy Metal, trazendo mais peso e riffs mais puxados pro heavy metal. Luke tem influências de  Avenged Sevenfold, faz sua homenagem na música In the End.


Luke também tem o selo Luke Grave Producition, que tem como objetivo divulgar bandas anônimas e pouco conhecidas na área do Heavy Metal, Metal e Rock´n Roll.

Muitas vezes é difícil montar uma banda, por causa da dificuldade de interação com outros músicos, a divergência de opiniões pode levar a embates que muitas vezes podem acabar com qualquer projeto. A interação entre músicos é uma das partes mais difíceis para o sucesso de uma banda ou mesmo para ela começar a decolar. Luke Grave passou por esses problemas mas fez o que poucos fariam: Resolveu sozinho montar seu projeto e encarar a estrada, por essa razão acredito que Luke já mereça parabéns, pela coragem e vontade, atitude que poucos tomariam.

Estrutura instrumental
O instrumental das músicas de Luke são da melhor qualidade, sempre com riffs poderosos e uma boa criatividade, embora em alguns momentos lembre bandas já conhecidas (pois existe a influência clara), os louvores ficam com a habilidade de Luke e de sua virtuose instrumental. A criatividade em muitos momentos surpreende e sai do previsível, algumas músicas podem chamar a atenção por isso, outras ainda seguem um pouco do clichê habitual.

Criticas
Embora o instrumental seja impecável e seja muito bem mixado, o ponto negativo fica para a voz, em quatro observações, na qual iremos listar com o intuito de ajudar o músico a observar esses pontos no futuro: 1 A mixagem da voz não é boa, desfalca muito da ótima mixagem do instrumental. 2 A voz busca ter uma identidade, mas ainda sim precisa buscar uma originalidade própria. 3 Como a proposta é cantar em inglês, o mesmo precisa estar impecável, em certas horas existe um sotaque muito forte, isso pode atrapalhar muito na proposta, principalmente no exterior. 4 Luke consegue mandar bem nos graves e médios, mas precisa tomar cuidado com os agudos.

Conclusão
Luke é um músico jovem e está vindo com o gás todo, com novas, boas ideias e uma habilidade instrumental muito boa, que promete para os próximos anos. Vale elogiar ele pela iniciativa de meter a cara e gravar por conta própria seu trabalho, problema que faz muita gente com mais experiência desistir de continuar, ele também merece elogios pela busca de união com outras bandas e grupos, nas parcerias que também poderiam ser estendidas para parcerias em álbuns, algo que Luke poderia analisar no futuro.


Ainda de última hora, saiu o novo trabalho do Luke, atualizamos a postagem agora com o link da música.

Luke Grave - My Last Horizon (Full album) 

http://www.youtube.com/watch?v=dAdM_uW2f-0



Obs.: participaram da analise desse artista: Diogo Navia e Renato Pereira.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário