sábado, 19 de outubro de 2013

Acabou a Rádio MEC?



Talvez alguns antigos leitores do blog se lembrem da ação da EBC em considerar a Rádio MEC, como elitista e desnecessária! para ler a noticia passada, clique aqui.

No dia 21 de março de 2013, os funcionários foram surpreendidos com uma ordem judicical interditando o lugar, com prazo de 3 dias para que tirassem todo equipamento e acervo, dendo obrigados a sair do prédio que ocupavam (AM, há 71 anos e a FM há 30 anos). Foi alegado que o prédio estava condenado. Em resumo: tudo que havia sido anunciado, o “fim da Rádio MEC” acabou realmente acontecendo em março desse ano.
 
A SOARMEC (Sociedade dos amigos ouvintes da rádio MEC), com a interdição do prédio perdeu o espaço que ocupava. Por essa razão irão realizar uma assembleia geral extraordinária no dia 31 de outubro de 2013, quinta feira, ás 16 horas, no auditório do Arquivo Nacional, na Praça da República, ao lado do prédio da Rádio. Pauta: o desmonte da Emissora, a responsabilidade da SOARMEC e a recomposição de sua Diretoria.
Na opinião de Edino Krieger:

 “houve uma apropriação indébita desta emissora por uma empresa de comunicação não comprometida exclusivamente com a difusão da educação e da cultura. […] Quanto a EBC, sugiro que atue no sentido de estabelecer normas para a programação das emissoras FM, concessionárias do poder público, e que não tem qualquer compromisso com a cultura brasileira.” (Amigo ouvinte, p.3)

Obs: “fim da Rádio MEC” entre aspas, para indicar que houve uma retirada de funcionários e equipamentos de seu local original, sem destino, mas ainda sim é uma incógnita afirmar se a rádio de fato acabou, ainda é necessário esperar os novos episódios dessa história.
Aguardamos então o dia 31, e o desfecho dessa história.


 Para ler o jornal que apresenta todo o caso, acesse o link:
http://www.4shared.com/office/UtOwTKtp/Amigouvinte51_final2.html

Veja a carta enviada pela SOARMEC para a EBC
http://www.soarmec.com.br/CARTA%20PARA%20A%20EBC.doc

Link de referência:
http://www.soarmec.com.br

Dia 1 de Novembro de 2013
Acompanhando as últimas noticias sobre o caso, podemos resumir em algumas declarações significativas sobre o caso, como o que foi postado no facebook de Lauro Gomes Filho, apresentador do programa "Sala de Concerto", que havia anunciado sua demissão e o fim do programa, com o seguinte email:
“Fomos demitidos. Dezenas de funcionários. A Rádio MEC agoniza, classificada como uma emissora elitista. A Cultura, a educação e a música do nosso país, são coisas para “elite”. A memória e o acervo da rádio estão se perdendo, apodrecendo sem nenhuma prevenção ou conservação.”

 Lauro Gomes ainda compartilhou em seu facebook  as palavras de Luiz Antônio de Almeida:

Luiz Antonio de Almeida
Exibida na Linha do tempo

O TRISTE FIM DA RÁDIO MEC !!! Ontem, no finalzinho da tarde, fui ao Arquivo Nacional assistir a uma reunião cujo tema tratava do futuro incerto da Rádio MEC. Infelizmente, sai mais triste do que entrei... Há poucos meses, um sociólogo resolveu terminar com o FINEP IN CONCERT, que durante vinte anos tornara-se um dos principais espaços da cidade dedicado à música clássica. Agora, estão querendo transformar a Rádio MEC em mera repetidora de CDs. Mas essa loucura toda, pelo menos no caso da Rádio MEC, não começou com o PT, mas com Fernando Henrique Cardoso ao transferir a Rádio MEC do Ministério da Educação, sabe-se lá por quê, para a ACERP (Associação de Comunicação Educativa Roquete Pinto), hoje fazendo parte da EBN (Empresa Brasil de Comunicação). Foi a partir dessa "canetada" do também sociólogo FHC que a Rádio MEC começou sua contagem regressiva... O que será que os sociólogos têm contra a música clássica? Heheheh... Nesse encontro realizado no AN, apresentaram algumas sugestões das quais destaco pelo menos duas: a primeira a de voltar a Rádio MEC para o Ministério da Educação. Pra mim, isso não garantiria à emissora livrar-se do papel de "vitrolão". E a segunda a de que a Rádio MEC passasse ao Governo do Estado, pela afinidade histórica com a nossa cidade. Sem dúvida, uma proposta também interessante... Agora, na minha opinião, se a Rádio já existe e até bem pouco tempo funcionava decentemente, sem notícias do tipo "Idosa com câncer é estuprada por enfermeiro", antes da irradiação de "Sala de Concertos", as pessoas têm que procurar identificar quem é a eminência parda que trama contra a Rádio MEC e dar nome ao "burro" !!! Estão demitindo. Querem contratar só pessoal concursado... Tudo bem, maravilha. Muito justo. Mas a Rádio MEC não é uma instituição de técnicos. Como podemos comparar um menino que acabou de sair da faculdade com a sabedoria de um Edino Krieger, Ricardo Cravo Albin, Lauro Gomes, Fabiano Canosa, Servio Tulio, Marlos Nobre? Não dá, isso não existe !!! Uma rádio do gabarito da Rádio MEC não pode ter sua programação nas mãos de gente que não sabe nem o que é "bel canto" !!! Pois é... A Rádio MEC tá ai, passando por mudanças... Tudo tem que mudar... O mundo é feito de mudanças... E a primeira mudança é colocar à frente da Rádio MEC não alguém comprometido com algum partido político, mas, sim, comprometido com a memória do rádio brasileiro, comprometido com o patrimônio da nossa nação !!!
....

Atualmente tem surgido algumas matérias sobre o assunto:
http://opiniaoenoticia.com.br/sem-categoria/radio-mec-em-perigo/

3 comentários:

  1. Ser elitista é algo ruim? Talvez manter a população em completa imbecilidade seja bom para fins de hegemonia política. Sou ouvinte da MEC desde os anos 1940. Aqui onde moro ocorreram o aparecimento de favelas com o consequente aparecimento de milícias e outras coisas aparentemente 'edificantes'. Sou obrigado agora a ouvir na minha casa a música em alto volume de alguns botequins, Isto deve ser considerado um grande progresso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acreditamos que elitizar um estilo de música sempre é ruim, e também acreditamos que a Rádio tinha como função justamente o contrário disso, que era propagar a música Clássica dando acesso a todos, muitas pessoas não gostam desse estilo apenas porque não tiveram a opotunidade de ouvi-lo.

      Excluir
  2. PREZADOS SENHORES,

    Excelente a edição do Informativo n.º 52. Nada a acrescentar. trata-se de manifesto de indignação contra o descaso do Governo Federal.
    Entendo ser necessária a adoção de medidas judiciais, já que houve violação à dispositivos legais, além de abuso de poder. A SOARMEC poderia ser a titular da medida judicial, ou qualquer outra pessoa como autora de ação popular. Eventual ordem judicial pode fazer a Rádio MEC-FM retornar a seu prédio localizado na Praça da República 141-A. Não se deve perder tempo! Estou à disposição no que for preciso.
    PAULO GALLIEZ (Rio de Janeiro)

    ResponderExcluir