sexta-feira, 21 de junho de 2013

Noite do dia 20, Registros e fuga.



Bem galera, essa vai ser uma postagem diferente do que vemos normalmente aqui no Blog, estive presente na manifestação do dia 20 de junho de 2013. Ao chegar lá antes pude constatar um ambiente que parecia de festa, havia um carro de som e muita festa, a frente da candelária pude fazer alguns dos melhores registros musicais do evento, uma amalgama de culturas mostrando bem a diversidade do povo brasileiro, esses arquivos em breve poderei editar. A energia do lugar era ótima, todos confraternizando, felizes e gritando por direito. Vi um cara do meu lado pichar a candelária e ser vaiado imediatamente por todos, o fazendo correr e sumir no meio da multidão, sim tinha família, crianças, pessoas idosas, era um ambiente familiar. Encontrei um amigo que é policial e até o entrevistei, realmente o clima era positivo e tinha tudo para dar certo.



Começamos a andar e continuei registrando com fotos e gravações, passamos pelos familiares dos bombeiros e muitos cartazes, vi o Pai da Gabriela, do movimento "sou da paz", aquela menina que morreu no metrô muitos anos atrás (sim e eu estava nessa estação no dia). E até um índio da aldeia Maracanã estava lá, revoltado mas apenas levantando seu cartaz e se manifestando. Ouvi um cara dizer: "sabe o que é uma pessoa muito feliz? Sou eu agora!"

O que eu vi
Avançamos em clima bom, até que começou a passar por nós caras encapuzados, com mochilas, luva e objetos negros nas mãos, foram pra frente e logo depois começaram a explodir bombas, não sabia quem estava fazendo aquilo mas sabia que aqueles caras mascarados iam fazer algo lá na frente. Em seguida a luz da avenida foi apagada, mais bombas explodiram, via pessoas gritando para não correr, via mulheres, mães, senhoras assustadas com todo aquele clima de terror, ninguém ali a minha volta queria aquilo, queriam apenas protestar sem violência! Eu não vi crianças nesse momento mas podia imaginar como poderiam também estar assustadas.

Metrô
Passamos o metrô da central e fomos para Uruguaiana, para nossa surpresa a porta se fechou logo depois que entramos! sorte? talvez, mas foi estranho ver pessoas do lado de fora batendo querendo entrar, alguns de dentro se revoltaram, eu até entendi a ação dos seguranças do metrô, algo muito ruim devia estar acontecendo lá fora, mas mais tarde veria em casa que não era bem assim, quando se está dentro do movimento você não tem muita idéia do que está acontecendo e tira até deduções muito erradas do que realmente está acontecendo.

Triste fim.
Lamentável, houve vandalismo que não era apoiado e houve total abuso policial, a ação da policia foi muito bem organizada o que me leva a crer que isso já era esperado, apagar a luz da avenida e cercar gente que não estava depredando? Isso foi uma vergonha para um protesto que começou bem.
Amigos e conhecidos ficaram em situação realmente ruim, e pressinto que algo muito maior está por vir.

Resolvi escrever isso aqui, para mostrar a todos que apesar de meu foco ter sido o registro musical da manifestação, não estou alheio aos fatos, muitas vezes revoltantes.

O que fazer agora?
Eu vou refletir sobre tudo, e observar. Deixo um texto da Urbe, para refletirem sobre
http://www.oesquema.com.br/urbe/2013/06/21/300-mil-no-centro-do-rio-o-caldo-entornou-e-isso-nao-e-bom-meus20centavos.htm

Nenhum comentário:

Postar um comentário