quarta-feira, 15 de maio de 2013

O Anel dos Nibelungos - Parte II, A Valquiria



Voltamos com mais um programa, agora o segundo ato do Anel dos Nibelungos. Entenda de onde veio uma das músicas mais famosas de Richard Wagner e onde ela foi usada. Falaremos também sobre as 3 damas do Reno e por fim escutem o áudio drama.
Desenho da vitrine: Daniel MM

Arte Final: Felipe Manhães ()
Edição de audio: Tiago Malta ()
Narração : Daniel MM


 
Vozes
Brunhilde -  Kell Bonassoli  ()
Odin -  Tiago Malta  ()
Sigumund - Bruno Gunter ()
Hunding - Douglas Fricke (@dwfricke)
Sieglinde - Ira Morato (Iracroft)
:
Para Baixar clique AQUI



Livro
Thomas Mann (1875-1955) Romancista alemão “O sangue dos Wälsungen” (uallsanguem)

Filmes
Apocalypse Now, 1979 de guerra de Francis Ford Coppola, baseado no livro Heart of Darkness de Joseph Conrad
Operação Valquiria, 2008, direção Bryan Singer
O senhor das Armas, 2005 direção Andrew Niccol.
Gasparzinho, O fantasminha camarada de 1995, direção de Brad Silberling
O Nascimento de uma Nação, 1915 de
David Llewelyn Wark Griffith (Luelen work gruefes)
8 e meio, de 1963 auto biografico por Federico Fellini.

Músicas usadas
Die Walküre - Richard Wagner,Metropolitan Opera Orquestra,Regência de James Levine


Tema das Valquirias.


 


11 comentários:

  1. Ficou super informativo. Gostei de ouvir mais gente na dramatização, muito legal. Só achei que desta vez o efeito ficou meio pesado e distorceu demais, fora isso ta tudo lindo, parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Kell, a tendência e expandir agora ir chamando mais gente e você está escalada para a próxima. o Efeito ficou mesmo mais pesado, experiência para a parte 3 =) , obrigado mais uma vez Kell

      Excluir
  2. Horror! Ouvindo apenas agora... Retorno de viagem é dose!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Disneylandia, hahahah tranquilo cara, e muito obrigado denovo.

      Excluir
  3. Muito boa essa série. Não entendo o suficiente de ópera para chegar a gostar do gênero, mas esse formato de contar a história intercalada por interpretações e trechos da ópera ficou muito empolgante. Ouvi hoje a parte I e comecei a ouvir a II. Mal posso esperar a execução da Cavalgada das Valquírias. Ultimamente tenho ouvido muito uma versão acapella do grupo Swingle Singers, do álbum New World, de 1995. Muito bom!
    Aproveito para falar que quando conheci o site baixei vários podcasts, e tive o azar de ouvir primeiro um que estava mal editado, mal dava para ouvir direito o que falavam no péssimo som de meu celular, e nem abertura tinha. Por isso fiquei com uma má impressão. Porém, quando ouvi os episódios sobre Luiz Gonzaga, mudei minha opinião, e virei fã, ainda mais depois que reconheci a voz do episódio do Música Histórica sobre bossa nova e percebi que era o mesmo Daniel. Parabéns mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por comentar Rayner, fico feliz de pessoas além dos nossos amigos mais diretos estarem comentando. A parte I está bem experimental a segunda eu já convidei mais pessoas, e pretendo melhorar ainda mais na terceira, claro tenho mais projetos além de óperas.
      hahah então Rayner, nós não fugimos a regra, os primeiros casts sempre são queimação de filme né, a edição o som são ruins e até a pegada. Eu também gosto muito do episódio de Luiz Gonzaga, até porque nós três estudamos muito o tema, e fluiu muito bem (engraçado pq a gravação foi feita em casa sem muito recurso avançado).
      Que bom que gostou lá do Música Histórica também, lá eu faço um cast mais formal e aqui na Euterpe eu faço de forma mais improvisada. Muito obrigado por comentar cara, fico mesmo muito feliz que esteja acompanhando, embora estejamos produzindo pouco de podcast procuramos manter o blog sempre com algum texto legal, abraços.

      Excluir
    2. Terminei de ouvir tudo. Ri pra valer e me arrepiei com a Cavalgada das Valquírias. Engraçado, talvez seja por influência daquele filme com a cena dos aviões, mas sempre fantasiei que fosse executada num prenúncio de uma grande batalha. Pelo que entendi, aparece na ópera para apresentar as Valquírias e iniciar o ato com um dramático fim para Brunhilde. Só não entendi de cara o trato que ela fez com o pai, por causa dos efeitos exagerados, mas pesquisei depois em outros sites, e estou ouvindo uns podcasts do site Papo lendário que também falam da obra e de outras lendas que inspiraram a obra.

      Excluir
    3. e ai Billy, realmente a cavalgada marca muito até porque ela foi muito usada no cinema em diversas situações, mas sim, ela aparece na ópera para apresentar as Valquirias e em todo momento que Brumhilde aparece a partir dai, é um leitmotive que irá aparecer sempre dai em diante.
      O trato foi basicamente que ela fosse cercada com fogo que somente um homem corajoso pudesse ultrapassar, para assim não ser a esposa de um covarde. =)

      Excluir
  4. Muito engraçada a voz do Hunding, me lembrou o Guilherme Karan (O cara que fez o vilão em "Super Xuxa Contra o Baixo Astral"). O trabalho ficou muito massa, mesmo... Só uma sugestão: diminuam o efeito que vocês utilizam quando alguma entidade divina se pronuncia. O som ficou meio estourado, e difícil de escutar no mp3.
    Continuem com esse tipo de projeto!
    Estou esperando ansiosamente o próximo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bruno obrigado por comentar! o Douglas que fez o Hunding é uma figura, quando estava aprontando o programa eu pensei exatamente nele para fazer esse papel, acho que deu certo.
      Sim o efeito realmente estourou, tivemos mais pessoas observando esse ponto, sugestão anotada.

      quanto terminar esse projeto pretendo fazer um maior, de um livro inteiro. Como sempre falo minha inspiração são os antigos disquinhos coloridos de vinil, mas estamos indo para uma linha tipo audioconto mesmo.
      Obrigado e até a próxima.

      Excluir
  5. Qu engraçado, também escutei os tais disquinhos... Tinha boa parte da coleção, até uns (que acho que não eram da coleção) que tinham o Silvio Santos contando histórias infantis (pena não ter mais, uma pérola dessas seria valiosa). Bem, é a evolução dos "escutadores" de histórias, de pequenos se alimentam de histórias como a "A Cigarra e a Formiga" ou "Dona Baratinha", e quando crescem, partem para as grandes literaturas. Continuei no caminho da Fantasia, e vocês trouxeram um dos contos que marcou a minha transição para histórias mais complexas, desde quando a li em um daqueles livros adaptações de histórias de mitologia. Agradeço muito por trazerem de volta tão bela lembrança!

    Não é a toa que uma figura tão honorável, como o saudoso Lucas Amura tinha tanto apreço e dava tanto incentivo e apoio a uma maravilha tão fantástica do universo da internet quanto a midia podcast. Esta, que possibilita maravilhosas surpresas quando levantamos as velas de nosso navegador, e desbravamos a podosfera. Novos mundos se abrem, em uma diversidade de temas, tópicos e assuntos, a satisfazer a fome de cultura de qualquer aventureiro amante das maravilhas da natureza e da produção artística e intelectual humana!

    ResponderExcluir