terça-feira, 24 de julho de 2012

Richard Wagner e o Navio Fantasma




Richard Wagner (1813 - 1883), descobre sua identidade como compositor, ao compor o Navio fantasma, tem a abertura da obra que se chama, vamos entender melhor do que se trata essa Opera


Existiu uma lenda de um navio Holandês que zarpou de Amsterdã em 1680, nele estaria Davy Jones, que segundo alguns era um demônio, e outros um marinheiro,ele afundou no cabo da Boa Esperança, em seguida seguem-se relatos onde se avista miragens de navios, o que ainda era comum para a época, onde se acreditava em monstros marinhos, ou como o caso citado, um navio fantasma. O Holandês Voador se torna então um navio fantasma condenado a navegar eternamente, vale lembrar que a Holanda disputava a supremacia dos mares, por isso é tão presente a figura do Holandês nessa lenda, são várias as versões, temos ela representada por Edgar Allan Poe (1809 – 1849) onde o autor explora o horror e suspense. Uma das versões é do século XVII, que fala sobre o capitão Bernard Fokee, que teria insistido em atravessar o Estreito de Magalhães, a região famosa por seu clima instável e geleiras, o que tornaria a travessia um tanto quanto perigosa; nessa versão Bernard para escapar da morte faz um pacto com o Diabo, em uma aposta de dados, ele ganha o jogo usando dados viciados e por isso é condenado a navegar pelos mares naufragando outros navios.


O Navio fantasma - O Holandês Errante.

É uma Opera de Wagner feita em 1839, onde parte da inspiração teria vindo de uma viagem por mar agitado, de Riga a Londres, com sua mulher Minna, é inegável que grande parte da inspiração tenha vindo das lendas sobre o Holandês Voador.

Na obra de Wagner um barco norueguês do mercador de nome Daland se refugia junto a costa por causa de uma forte tempestade, é quando avista um navio fantasma, com velas vermelhas e mastro negro, o capitão é um rico holandês, que está condenado a vagar eternamente enquanto não encontrar uma mulher que lhe seja fiel, então ao entrar em contato com o navio mercador, o rico ]holandês pede em casamento a filha de Daland, de nome Senta, mas a moça tem um noivo chamado Erik, que fica desesperado e a vê partir em sonho com o Holandês, nesse trio amoroso acaba por fazer o capitão do Navio fantasma interpretar que Senta é infiel a ele, mas a moça já esta apaixonada pelo holandês, pois jura-lhe fidelidade até a morte, o navio fantasma parte.

O Leitmotive já anunciado por Weber, que influência diretamente Wagner, está presente nessa obra, Wagner rompe as regras, e as vozes dos cantores são tratadas agora como instrumentos junto com a orquestra, é a partir dessa obra que Wagner revoluciona entrando definitivamente para o período romântico e marcando os compositores depois dele em wagnerianos e ntiwagnerianos.

O Holandês encarna um personagem que deseja ter uma vida normal, a obra trata do amor, o combate entre limites da realidade e da existência, o homem condenado a navegar pela eternidade, e condenado a solidão.


o Navio fantasma

o Holandês errante, abertura


Bibliografia
http://www.portalentretextos.com.br/colunas/recontando-estorias-do-dominio-publico/avistamentos-do-navio-fantasma-holandes,236,4254.html [acessado em 24/07/2012]


SUHAMY, Jeanne Suhamy. Guia da Ópera. Neves Fonseca. Porto Alegre:L&P, 1997.

Nenhum comentário:

Postar um comentário